Em relação aos temas WordPress eles dizem respeito aos estilos front-end (tipos de letra, cores, posicionamento de widgets, layout das páginas, espaçamentos, margens, e outros elementos de design visual).

 

Um aspecto importante dos temas é que eles são independentes do conteúdo do nosso site. Isso significa que a qualquer momento vamos poder trocar de tema e não iremos perder o conteúdo.

 

Outro aspecto muito importante é a flexibilidade que oferecem. Embora em tempos os temas WordPress tinham todos muito o aspecto de blog, hoje em dia isso já não acontece e não há nenhuma limitação em termos daquilo que um tema WordPress possa ser, I.e. aquilo que o HTML/CSS/JavaScript permite o WordPress permite também. 

 

Figura 1 – o website da banda “Rolling Stones” está em WordPress mas não é possível identificar esse aspecto apenas olhando para o aspecto visual.

 

 

Existem temas gratuitos e temas “pagos” que são também por vezes chamados de temas premium

Alguns websites que distribuem temas WordPress bastante populares são:

http://themeforest.net/ 

http://www.woothemes.com/ 

http://www.elegantthemes.com/ 

 

Para além destes sites o WordPress possui um repositório oficial de temas em http://wordpress.org/themes onde estão disponíveis mais de 1000 temas para diferentes propósitos (fotografia, vídeo, blogging, sites de empresa, etc).

 

 

A diferença entre um tema WordPress e um template?

Muitas vezes usamos o termo tema e template como se fosse a mesma coisa e gostaria de os diferenciar por forma a não haver confusão. Quando falamos em tema WordPress é um tema que podemos instalar no WordPress e irá alterar o aspecto do nosso site. Quando falamos em template será relativo a uma página específica, ou seja, o template da página “Sobre Nós” é o layout dessa página. 

 

Antigamente quando se fazia um site era comum perguntar quantas páginas o cliente iria querer pois conforme esse número o trabalho seria maior ou menor. Hoje em dia, utilizando um Content Management System (CMS) como o WordPress, não estamos limitados a um número finito de páginas. O cliente poderá criar infinitas páginas (e organiza-las no menu) usando os templates e as possibilidades que o tema lhe disponibilizar. Esta acaba por ser uma grande vantagem em relação a um site que só foi pensado (desenhado) tendo em conta um número limitado de páginas. 

 

O que devemos ter em conta ao escolher um tema?

Destaco alguns aspectos que me parecem essenciais:

Rapidez: se possuir muitas funcionalidades o tema poderá ser mais pesado que o normal ou demorar a carregar. Sabemos que é extremamente importante, até para o Google e outros motores de pesquisa, a velocidade de carregamento dos sites pelo que há que ter atenção a este aspecto. Infelizmente sem testarmos o tema dificilmente teremos essa percepção pelo que aqui só a experiência nos fará encontrar um tema que seja rápido e que tenha também os outros critérios que vamos ver a seguir.

 

Facilidade de personalização: o tema deverá permitir uma fácil personalização para podermos ajustar à nossa realidade (ou do projeto em questão). Aqui é preciso ter em conta que nas demonstrações dos temas premium normalmente é tudo muito bonito pois as imagens foram pensadas para ser atrativas, etc. Muitas vezes quando tentamos adaptar o tema ao nosso projeto é que nos deparamos com os problemas e acaba por perder-se muito tempo até perceber como personalizar o que precisamos. Este aspecto é também essencial pois se estivermos a usar um tema pouco personalizável vamos achar o WordPress pouco robusto. Convém pois explorar diferentes temas até acharmos em que conseguimos bem fazer as adaptações que necessitamos. 

 

Design e Experiência do Utilizador: Não há muito a dizer aqui excepto que o design visual do tema vai obviamente influenciar a capacidade do website atrair utilizadores e daí ser de primordial importância. 

 

Avaliações e  Suporte: Ao adquirir um tema premium devemos ter em atenção também as avaliações por parte de outros utilizadores que já testaram o tema e também ao nível do suporte prestado caso haja algum problema. Ambos estes aspectos estão normalmente no site de venda do tema bem indicados. Se não tiver desconfiem.

 

Custo: Os temas premium podem variar entre os 20€ e os 100€ ou mais. Não há uma ligação direta entre o custo do tema e a sua utilidade. Esta análise deverá sempre ser feita primeiro pelos parâmetros anteriores e finalmente considerar apenas o preço na fase final e se este cabe dentro do que estava a pensar gastar. Se acham $75 ou $99 caro pensem novamente pois estes valores são irrisórios quando comparado com o tempo/custo de desenvolver um tema de raiz (embora para marcas profissionais possa ser esse o melhor caminho).

 

 

Widgets

Os widgets permitem-nos adicionar funcionalidades extra ao nosso website ou até mesmo conteúdo. Foram originalmente pensados para se personalizar a barra lateral que aparecia normalmente ao lado da listagem de artigos num blog e dentro de artigos onde se listavam tipicamente as categorias existentes, uma nuvem de etiquetas, uma barra de pesquisa, etc.

 

Similar aos widgets que hoje em dia existem nos smartphones ou nos computadores, como o widget do tempo ou das horas, sendo que em vez de “flutuarem” no ecrã do telemóvel ou no Desktop o posicionamento dos widgets no WordPress depende do tema que estivermos a usar e irão situar-se nas chamadas Áreas de Widgets ou barras laterais (Sidebars)

 

No WordPress muitos temas apresentam uma ou mais barras laterais (Sidebars), às vezes até no cabeçalho e no rodapé, por forma a podermos activar widgets nestas localizações. 

 

Os widgets são os blocos individuais que compõem estas barras laterais e que podemos adicionar, remover e mover para cima ou para baixo simplesmente os arrastando e soltando. 

 

Hoje em dia existem variados widgets para diversos fins e os plugins geralmente adicionam os seus próprios widgets.

 

Podem ser adicionados, removidos e reorganizados no “Personalizar” do tema ou Apresentação >  Widgets nos menus de administração do WordPress.

 

Alguns widgets oferecem personalização e opções, como formulários a serem preenchidos, incluem ou excluem dados e informações, imagens opcionais e outros recursos de personalização.

 

Figura 2 – Ecrã dos Widgets

 

 

Menus

No WordPress podemos criar quantas páginas necessitarmos e também organiza-las em menus de navegação no nosso site. O WordPress suporta a criação destes menus de forma intuitiva e também a criação fácil de sub-menus, ligações externas, abertura da ligação num novo Tab, adicionar um estilo específico, etc. Um aspecto importante dos menus é que o seu posicionamento é dado pelo tema que estivermos a usar.  

 

O objectivo dos menus de navegação é obviamente ajudar os visitantes a navegar no site. Dependendo do tema, um site poderá terá uma ou mais localizações para menus de navegação, por exemplo um menu principal, um menu secundário no rodapé e ainda um menus de redes sociais.

 

A criação de menus está disponível no menu Apresentação > Menus e consiste em 3 passos:

  1. Criar do menu especificando um nome, e.g. “Menu Principal”;
  2. Adicionar os items pretendidos (artigos, páginas, categorias, etiquetas, etc.), seleccionando à esquerda os items e carregando em “Adicionar ao menu”;
  3. Escolher a opção “Onde mostrar” para indicar em que localização do tema se pretende que este menu apareça (para esta opção temos de experimentar se ainda não conhecermos bem o tema em uso).

 

Por omissão, o WordPress adiciona todas as páginas publicadas ao menu automaticamente. No entanto, é possível personalizar o menu, como adicionar um link a uma categoria ou site externo, alterar a ordem do link do menu ou criar um submenu.

 

Esta funcionalidade dos menus está disponível no menu Apresentação > Menus.

 

Figura 3 – Ecrã Menus

 

A criação de um sub-menu é muito simples e basta arrastar o item de menu que queremos colocar num sub-menu ligeiramente para a direita e abaixo de outro item.

 

Neste ecrã é importante também destacar que através do menu superior “Opções deste ecrã” (canto superior direito da figura anterior) é possível activar opções como “Destino da ligação” (que permite abrir a ligação num novo separador) ou “Classes CSS” que permite acrescentar estilos específicos a um item de menu.